Escrito em por

Spread

calculo do spread bancário

Como dissemos em nosso último artigo, faz parte da rotina de diversas empresas tomar crédito bancário para financiar o capital de giro a fim de adquirir bens ou materiais de altos valores. Ao negociar esta tomada de crédito com as instituições, é fundamental saber que o spread bancário refere-se à diferença entre a taxa que os bancos pagam pelos recursos que são captados e o valor que é cobrado dos clientes, em termos de taxas de juros. E também é importante que você saiba como é calculado o Spread Bancário.

Recentemente, pudemos notar que o spread bancário caiu e os bancos se retraíram, fruto de uma intervenção do governo que forçou as instituições oficiais a fazerem um corte radical nos spreads para injetar mais competição no sistema e, consequentemente, forçar os bancos privados a seguir o mesmo caminho.

Entretanto, a estratégia do governo de forçar os bancos a reduzir os lucros no spread teve vida curta, como mostram dados recentes do Banco Central. Intervir e tomar decisões “na marra” funciona por um tempo, mas não é sustentável. Os spreads cobrados dos clientes vinham subindo desde meados de 2013, com o aperto da Taxa Selic pela autoridade monetária e, a partir de 2014, os bancos federais voltaram a subir os juros para recompor a rentabilidade.

Mas e porque eu preciso saber o que é spread?

A resposta é simples: sabendo qual é o preço de custo do crédito para o banco, é possível negociar com melhores margens de juros. Vamos tomar o exemplo de uma gráfica:

Para tocar suas operações, a gráfica precisa de muito papel como matéria prima. Para melhorar as margens financeiras da empresa, a gráfica vai buscar pelo fornecedor que oferece o melhor preço. No entanto, se a empresa tiver a informação de qual é o custo do papel para o fornecedor, é possível apertar a margem de lucro e negociar melhores preços.

Mas o que exatamente eu preciso saber?

O primeiro passo é saber como calcular o spread. Para isso, é preciso levar em conta e cruzar alguns fatores, como: referencial do mercado, curva de juros, entre outros. Dessa forma, é possível saber quanto sua empresa paga no spread. Entendendo este custo, sua empresa consegue saber quanto está pagando nas operações, não só as atuais, como nas passadas também.

Outro fator importante é consultar no Banco Central a série de dados que te dá o spread, para fazer a comparação com o mercado em termos de: saber se quando o spread caiu, o seu também caiu, se quando subiu, subiu mais do que o mercado, entre outros indicadores.

O que sua empresa faz para ter domínio do spread?

O fato é: muitas empresas reclamam dos altos juros mas, por outro lado, não sabem o que estão fazendo e, em muitos casos, negociam as cegas. Os bancos, em sua totalidade, contam com informações em suas mesas de operações que lhe permitem calcular o custo do dinheiro com exatidão.

Visando equiparar as empresas nas negociações, o CalcBank fornece ao gestor financeiro das empresas informações em tempo real e ferramentas necessárias para negociar com um banco em condições de igualdade, equilibrando as negociações e até colocando as empresas em vantagem.