Escrito em por

Spread

Calculo-Spread-Bancário

Spread Bancário é o principal indicador utilizado pelos bancos na hora de emprestar dinheiro, mas somente passou a ser utilizado pelas empresas como instrumento de negociação nos últimos anos. Isso tem ocorrido com a percepção das empresas que o spread é efetivamente o melhor indicador para se perseguir, quando a meta é redução do custo do capital. O spread bancário contempla o custo do dinheiro e por consequência a margem de ganho dos bancos.

Ou seja, a meta é minimizar o que os bancos tentam maximizar: o spread.

Atualmente o spread bancário está caindo bastante conforme a base de dados do Banco Central, e desta vez é o próprio mercado que está produzindo a queda e não uma intervenção do governo como em 2012 e 2013, veja:

spread-bancário

Clique na imagem para ampliar.

 

O último dado plotado é de dezembro de 2018 quando o spread estava em 11,53% ao ano, a série de dados exibida é referente as captações de pessoa jurídica com recursos livres, que são recursos não subsidiados e negociados livremente entre bancos e empresas.

O desafio para as empresas é saber o histórico do spread que pagou nas suas captações e como está captando atualmente, e não simplesmente comparar taxas. Lembramos que a taxa Selic tem caído nos últimos anos, mas o que realmente mede o custo de capital é a curva de juros, que é formada no mercado de DI na BM&FBovespa, veja o movimento de queda da curva de juros:

Spread-bancário

Clique na imagem para ampliar.

 

Vamos realizar uma breve e simples análise no movimento ocorrido entre janeiro de 2017 e o momento atual, para operações com prazo de 1 ano.

Em janeiro de 2017 o custo do dinheiro de 360 dias corridos estava em 11,46% e atualmente está em 6,39%, uma redução de 5,07%. Já o spread caiu de 18,13% para 11,53% uma redução de 6,60%. Fazendo uma conta simples, sem requinte matemático algum, temos 11,67% de redução no custo do dinheiro para as empresas combinando a redução de spread com a queda das taxas na curva de juros.

Muitas empresas se limitam a acompanhar simplesmente o movimento das metas da Taxa Selic, o que é pouco significativo dado que a Taxa Selic representa o custo do dinheiro apenas para as operações de 1 dia, e podendo levar a conclusões erradas pois o movimento das curvas de juros não são paralelos aos movimentos da Selic, e muitas vezes em sentido contrário.

Para realizar o cálculo do spread temos mais artigos aqui no site do CalcBank.

O primeiro passo é construir a curva de juros formada pelos contratos de DI da BM&FBovespa essa é sem dúvida a parte mais trabalhosa pois demanda um rigor técnico e dados sempre atualizados, com está informação já pronta calcular os spreads é fácil.

Lembramos que existem vários tipos de spreads e que a forma amplamente adotada para operações de crédito são os spreads multiplicativos.

Conheçam o CalcBank, um sistema de controle de operações financeiras, com link na BM&FBovespa, que já tem todo o ferramental pra você ter o histórico dos spreads das operações passadas e poder negociar as novas com as mesmas informações que os bancos tem.
No CalcBank você controla e negocia operações de crédito, SWAPS, NDFs e operações de câmbio pronto tudo em tempo real com facilidade, agende uma apresentação e aproveite este movimento.

Negocie com os bancos em condições de igualdade utilizando o Spread como indicador. Aumente sua eficiência!

Agende uma apresentação por Skype e conheça mais.